quarta-feira, 26 de março de 2014

Sem lenço, roupa e documento

Conheça praias brasileiras de nudismo e entenda como funcionam essas zonas livres de vestimenta

Nudista ou naturista? Segundo o dicionário Michaelis nudismo é um “tipo de culto e interesse compartilhados por pessoas que (...) se reúnem em grupos para associar-se em nudez”. Já naturismo, segundo a Federação Brasileira de Naturismo, é o estilo de vida em que o respeito a si, à natureza e aos outros acompanha a nudez social. Ou seja, nem todo nudista é naturista, mas todo naturista é nudista.

Enquanto na Europa as praias de nudismo são muito bem frequentadas, sem qualquer tabu ou pudor, no Brasil a questão ainda gera discussão e até um certo receio entre as pessoas que desconhecem o naturismo. Apesar de serem exibidos nas praias do País alguns dos menores biquínis do mundo, a nudez ainda causa um certo desconforto por aqui. Pelo menos, para a maioria da população.

Segundo dados da Federação Brasileira de Naturismo (FBrN) cerca de 20 mil pessoas que costumam frequentam os cerca de 35 espaços - entre praias, pousadas e clubes. Apesar dos locais oficiais, os encontros acontecem em vários outros pontos. Em recente entrevista ao Guia Quatro Rodas, o presidente da FBrN José Antônio Ribeiro explica que “as pessoas não entendem que o fato de estarmos nus não reflete uma questão erótica e de desrespeito, ao contrário, o objetivo é encorajar o autorrespeito e o respeito ao próximo. É muito mais simples do que imaginam. Para nós que praticamos, a nudez é social, natural”.

De acordo com a legislação brasileira, a nudez em locais públicos é criminalizada e considerada atentado ao pudor. Mas os encontros dos naturistas têm lugar fixo para acontecer, sem desobedecer nenhuma regra, em oito praias regulamentadas por decretos municipais, além de clubes e ambientes privados. “A maioria das pessoas que vão a estes lugares é naturistas e frequenta os espaços há algum tempo. Mas todo naturista já foi curioso algum dia. Portanto, devemos ter uma relação bacana com eles porque podem ser futuros praticantes em potencial”, afirma Carina Moreschi, uma das responsáveis pelo site Brasil Naturista e praticante há 17 anos.

As pessoas interessadas em visitar as praias brasileiras devem ficar atentas em algumas regras básicas para evitar constrangimentos e viver a experiência sem transtornos.  É bom lembrar que desrespeitar qualquer das regras do estatuto conhecido como ‘Normas Éticas do Naturismo Brasileiro’ gera advertência, expulsão do local e até proibição de frequentar reuniões futuras. A primeira característica desse movimento no Brasil é que a nudez seja 100% obrigatória nestes espaços. Em outros lugares do mundo, por exemplo, ficar sem roupas é opcional.

Outra regra imperativa nas praias, os homens não podem de forma alguma entrar desacompanhados. Eles precisam sempre estar com alguma presença feminina, a não ser que sejam cadastrados na Federação Internacional e possuam uma carteirinha de identificação de sócio da entidade.  Esse cartão pode requerido via internet, mas depende de algumas avaliações.

Evite o contato

Para manter o bom convívio os responsáveis pedem que, especialmente os casais, evitem trocar carícias e contatos físicos exagerados em público. Apesar das recomendações, as situações que geram desconforto entre os nudistas são muito raras. Isto porque um dos objetivos centrais da filosofia é desmistificar a nudez e desvinculá-la do erotismo.

Onde ir?

Com paisagem de tirar o fôlego e mar cristalino, as praias autorizadas são locais perfeitos para superar pudores e se entregar de corpo e alma nus à beleza do litoral brasileiro. Veja abaixo uma lista dos locais onde ir.

Galheta, Florianópolis, Santa Catarina

O isolamento transformou a praia no lugar favorito dos naturistas – mas não é preciso tirar a roupa para frequentar os pedaços mais preservados da ilha. Partindo do canto esquerdo da Praia Mole, é só caminhar 15 minutos, sobre pedras, para encontrar mar mais calmo e a pequena faixa de areia protegida por costões.

Pedras Altas, Guarda do Embaú, Santa Catarina

Os dois costões de vegetação, pedras corpulentas e o mar calmo colaboram para oficializar esta praia - na realidade duas prainhas de 100 metros - como reduto naturista. Lá não é permitida a entrada de pessoas vestidas. O acesso é pela estrada que sai da Enseada do Brito. 

Barra Seca, Linhares, 
Espírito Santo

O trecho isolado de 250 metros de areia pode ser alcançado por travessia de barco de 5 minutos pelo Rio Ipiranga. É preciso parar o carro na estrada e procurar pelos barqueiros (combine o horário de retorno). A boa notícia é que a praia tem quiosques, banheiro e duchas.

Tambaba, 
Conde, Paraíba

Ficou famosa por ter se tornado, em 1991, a primeira praia oficial de nudismo do Nordeste. Mas já mereceria atenção por sua beleza: a faixa de areia é pequena, mas cercada de falésias, coqueiros e vegetação de restinga. Pelo acesso principal há um pequeno trecho destinado a quem prefere usar trajes de banho. Depois há um bar e algumas pedras, que marcam o início dos 300 metros da parte nudista. Homens desacompanhados de mulheres não podem entrar. Também não é permitido filmar ou fotografar.

Praia do Abricó (Praia de Grumari), 
Rio de Janeiro

Em área de preservação ambiental, é uma das praias mais bonitas do Rio, cercada por morros com vegetação de restinga. Vale a pena prestar atenção na paisagem durante o trajeto: o acesso, pela Av. Estado da Guanabara, é encantador. A parte naturista de Grumari toma o nome de Praia do Abricó e fica no canto esquerdo da orla. As ondas são fortes e atraem surfistas.

Massarandupió, Sítio do Conde, Bahia

A praia fica em área de proteção ambiental e é destino de nudismo na Linha Verde baiana. À direita do estacionamento, é obrigatório tirar a roupa na área isolada pelas dunas brancas da vila de pescadores. O acesso por estrada de terra precária também afasta os curiosos.

Olho-de-Boi, Búzios, Rio de Janeiro

A trilha íngreme e não sinalizada que parte do canto direito da Praia Brava demora aproximadamente 20 minutos para ser percorrida, mas a Olho-de-Boi compensa o esforço. O prêmio é o mar cristalino, onde dá para ver peixes mesmo sem máscara.

Praia do Pinho, Balneário Camboriú, Santa Catarina

Não é preciso tirar a roupa para conhecer a primeira praia oficial de naturismo do país, com ondas fortes e costões cobertos de mata nativa. No estacionamento e na pousada localizada na propriedade, muita gente não adere ao nu – há quem venha só para tomar uma cerveja e observar o movimento na areia - quem pisar nela deve tirar a roupa.




Postar um comentário